Arquitetura Interativa

Seria uma nova forma de expressão arquitetônica a interação ou modificação do espaço pelos usuários? Como abordar?

“Agente muda. O mundo muda.” O novo slogan do guaraná Kuat sintetiza em poucas palavras o que quero abordar neste post. Nos últimos 20 anos com o advento das forças planificadoras das relações inter-pessoais (vide “O Mundo é Plano” de Thomas L. Friedman) os indivíduos ganharam maor visibilidade perante o mundo em detrimento das corporações… explico: Eu sou um fanático por notícias sobre tecnologia. Anos atraz eu esperava toda semana pra comprar o jornal Correio do Estado de 4ª feira com o tímido caderno de informática, que é produzido por uma empresa, onde as matérias são concebidas por uma grande redação não especializada. Hoje eu sigo os caras do  Gizmodo com suas 30 notícias diárias fresquinhas e opiniões individuais, assim como neste blog que “vos fala”.

A questão é que a tendência futura é a integração total das coisas, a arte já avançou neste quisito com objetos onde o observador precisa adentrar/mover ou reagem sob sua presença. Theo Jansen é um destaque por conceber criaturas mecânicamente acionadas pelo vento, esculturas animadas comparadas a animais, que ganham vida e reagem a este estímulo externo.

Outro exemplo são os engenheiros da Festo, que recriaram mecânicamente e fizeram uso aplicado da “bio-arquitetura” de um pinguim arriscando seu uso na mecâtrônica com um braço robótico e na arquitetura com paredes moveis que reagem a presença do usuário.

A BMW também entrou nessa onda com o BMW Gina, este carro tem a capacidade de flexionar sua carroçeria para as funções de abertura, como acesso de passageiros, manutenção do motor e porta malas.

Mais um pequeno exemplo de como a tecnologia poderia ser utilizada nesta integração homem-edifício, é o novo software de reconhecimento espacial do Asimo, aquele robozinho-branco-que-dança-e-fala da Honda que discerne e aprende conceitos visuais de objetos, a ponto de reconhecer o conceito de cadeira que ele nunca viu baseado por experiências anteriores.

Então, nós arquitetos, conseguiremos juntar algum dia esses conceitos na criação de espaços flexíveis que se adequem automaticamente as necessidades espaciais dos seus usuários? Seria isto viável?

Haveria algum ganho em criar um edifício que garanta em todas as situações climáticas as melhores condições de conforto por meios naturais, adaptando-se em vez de ter seus espaços adaptados? Isto é possível?

Farei uma dissertação sobre isso para o meu Trabalho de Conclusão de Curso?

Meus visitantes debaterão sobre o tema nos comentários adicionando novos pontos de vista sobre o assunto?

PS.: Não eu não bebi pra escrever isto, parece que esse negócio de escrever tá fazendo efeito pra mim rsrsrs.
PS.2: Obrigado por se interessarem pelo site! Chegamos nos 1000 views!!! Estamos hoje com uma visitação diária média de 18 pessoas e crescendo…
Anúncios

7 Responses to “Arquitetura Interativa”


  1. 1 silvio haddad 24/04/2009 às 4:18

    tirando o final manjericão, simplesmente sensacional =3
    esse cara que criou os ‘animais’ tá alguns séculos à frente do nosso tempo.

  2. 2 eurialtoo 30/04/2009 às 22:50

    ‘Seria uma nova forma de expressão arquitetônica a interação ou modificação do espaço pelos usuários? Como abordar?’

    inclusive esse outro visitante
    ‘silvio haddad’ falou tudo,
    esse cara não tá um poquinho muito a nossa frente
    não? COMO ABORDAR?

  3. 3 eurialtoo 30/04/2009 às 23:09

    Mas, como abordar?
    Podemos começar pelo conceito da Kuat, é interessante ter o mundo mudando junto conosco porque se a mudança do mundo é relacionada com a mudança própria é deduzível que este mundo fica com os novos acontecimentos nele voltados para as pessoas que decidiram mudar aumentando a qualidade de vida daqueles que neste mundo vivem. Por esse meio defendido por mim, creio que seja a ‘expressão arquitetônica a interação’, pois visa, arquitetamente nos confins financeiros da Kuat, ter mais vendas, por consequência mais lucro e maior popularidade, isto é, visa veicular a atenção do mercado de vendas de refrigerantes para eles, pois seu ‘slogan’ vende sua imagem que pode ou não ser real que é levar as pessoas à mudarem (passarem a tomar Kuat) para se sentirem melhores consigo mesmos.

    PS.: Eu também não bebi muito menos fumei para escrever isto.
    PS.2: Seu blog tá bombandoo ! 1000 views!

  4. 4 juliana trujillo 10/05/2009 às 13:17

    Oi Vinícius, um bom pesquisador tem muitas perguntas a responder… acho que esse talento é natural seu!
    Eu acredito que, num futuro não tão longínquo a arquitetura estará aberta à interação, como na arte. Veja essas superfícies que reagem ao som, ao movimento… quem sabe um dia à energia transmitidas por nós (num dia de mau humor, por exemplo, como será que ela irá reagir?) http://www.hyposurface.org/
    .)

  5. 5 Gilfranco Alves 28/10/2009 às 14:25

    Oi meninos! Tudo bem? Parabéns pelo site, cada vez mais interessante! E Mateus: não tem nada a ver com o post, mas você já viu? http://www.oestadoms.com.br/flip/28-10-2009/p17b.pdf

    abraço,

  6. 6 Gilfranco Alves 15/05/2010 às 10:40

    Caras, é isso mesmo!Temos feito muitas pesquisas no NOMADS sobre arquiteturas interativas, interfaces tangíveis e sobretudo sobre cibernética. Dêem uma olhada no site e vejam algumas pesquisas como a éos ou o pix. abraço,gil.

  7. 7 Deyvid Ausani 25/05/2010 às 19:38

    SUCESSO O BLOG EM MEU GAROTO…!
    PARABÉNS!
    ABRAÇO!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: